Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram
Projeto Mais que Doce formará mulheres para reinserção no mercado de trabalho

Autor da notícia: Secretaria de Comunicação – imprensa@tjms.jus.br


O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (Senac/MS) e o Ministério Público do Trabalho de MS, oportunizará o aprendizado e formação em técnicas de confeitaria básica a mulheres vítimas de violência doméstica e a encarceradas e egressas do sistema prisional em Mato Grosso do Sul. O termo de cooperação técnica, que objetiva a reinserção no mercado de trabalho e ao aumento do potencial de empregabilidade das participantes, foi assinado na manhã desta quinta-feira (25), na sala de reuniões da Presidência do TJMS.

O documento foi assinado pelo presidente do TJ, Des. Paschoal Carmello Leandro, pela coordenadora da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar de MS, juíza Jacqueline Machado, pelo diretor regional do Senac/MS, Vitor dos Santos de Mello Junior, e pelo procurador-chefe da Procuradoria Regional do Trabalho da 24ª Região, Leontino Ferreira de Lima Junior. O termo de cooperação estabelece as condições de mútua colaboração entre os órgãos para execução do curso. O juiz auxiliar da Presidência do TJMS, Fernando Chemin Cury, e a gerente regional de Gastronomia do Senac, Roberta Valos, também participaram do ato.

Para o presidente do Tribunal de Justiça, parcerias como esta são importantes não somente para as instituições, mas também para a população. “Estamos sempre na busca de melhorias, procurando dar qualidade de vida para as pessoas, especialmente neste caso com a capacitação destas mulheres, que permitirá a reinserção delas no mercado de trabalho com melhores perspectivas de futuro”, afirmou o Des. Paschoal Carmello Leandro.

A juíza coordenadora da mulher agradeceu aos parceiros e à visão da administração do TJMS com o apoio às ações da Coordenadoria. “Esse projeto faz com que estas mulheres tenham uma alternativa, um objetivo, já que as que saem do sistema prisional estarão qualificadas para o mercado de trabalho e aquelas vítimas de violência, que tem dependência econômica e não conseguem sair dessa situação, consigam se qualificar e a partir daí ter uma nova vida. Parcerias como esta são fundamentais para que a gente evolua nesses projetos sociais e consiga cada vez mais colocar as mulheres, de forma digna, no mercado de trabalho”, destacou a juíza Jacqueline Machado.

Os custos do projeto Mais que Doce ficarão a cargo do Ministério Público do Trabalho, que inclusive oferecerá bolsa-auxílio para as participantes conseguirem se manter no curso. “Nós custearemos esse projeto com recursos de condenações em ações civis públicas. Essa condenação se reverterá diretamente para o mercado de trabalho, porque são pessoas que sofrem discriminação por estarem nessa situação de vulnerabilidade. Este curso será uma forma delas se qualificarem e estarem no mercado de trabalho, por isso é tão importante para o Ministério Público do Trabalho estar nesse projeto, nessa parceria”, concluiu o procurador Leontino Ferreira de Lima Junior.

O diretor regional do Senac agradeceu a confiança do TJMS e do MPT na instituição para o desenvolvimento do curso. “É uma triste realidade a violência contra a mulher, mas a gente vê tantas ações positivas que é pro Senac uma grande satisfação fazer parte desta ação. Contem sempre conosco”, ressaltou Vitor de Mello.

Saiba mais – O Curso Básico de Confeitaria – Mais que Doce será ministrado pelo Senac/MS e contará com a participação de 15 mulheres (7 em cárcere ou egressas do sistema prisional e 8 em situação de violência doméstica) selecionadas pelo Tribunal de Justiça.

Com carga horária de 66 horas/aula, a capacitação se estenderá de 5 a 29 de agosto e dentre os temas de sua programação, além do conteúdo prático de confeitaria e comunicação e expressão, terá aulas em que serão abordados os aspectos jurídicos e psicossociais da violência doméstica, ministradas pela juíza Jacqueline Machado e técnicas da Coordenadoria da Mulher do TJMS.

Ao final do curso, o Senac disponibilizará até quatro vagas de estágio de 30 dias no restaurante Escola Senac ‘Terra das Águas’ para as alunas com melhor desempenho, além de realizar o acompanhamento pedagógico referente à aprendizagem, mediante instruções e conselhos às participantes.

www.tjms.jus.br

2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *