Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram
Decifrando o 666, o número da Besta

www.cafetorah.com

Este assunto surgiu mais uma vez de uma das muitas perguntas levantadas em nosso grupo de Bate Papo, sobre o que seria realmente o número descrito no Apocalipse como o Sinal da Besta. Já havia meditado bastante sobre o assunto, e creio que a Bíblia sempre explica a Bíblia. Ou seja, um texto que está conectado a outro, pode sempre de alguma forma mais coerente, lançar luz em outro que pode parecer obscuro.

Segue a minha resposta sobre o que seria o Sinal da Besta, 666.

Definição Simples do Anti-Cristo

Em primeiro lugar, é preciso definir o que seria Anti-Cristo, o significado da palavra “anti” não é substituto, mas sim opositor. Ou seja, em tradução simples, anti-cristo seria o “opositor do ungido”. Em termos bíblicos, não existe somente um anti-cristo, mas sim muitos. Qual deles será O Anti-Cristo do Apocalipse, ninguém sabe, nem mesmo Satã, somente o PAI. Portanto, Hitler foi mais um da longa lista de Anti-Cristos durante a história da Humanidade.

Então o que Significa Realmente 666?

Quanto ao 666, em minha opinião, conforme expliquei já expliquei em outros casos, o número é exato, e a prova disso é que este número aparece em outras passagens bíblicas, e se assim ocorre há um motivo importante para isso.

Para entender o meu pensamento é necessário se aprofundar um pouco mais em relação as composições dos livros onde eles aparecem. Tanto Reis quanto Crônicas, são livros históricos, bem como Esdras e Neemias, então se trata de uma informação numérica, precisa e cuja intenção do autor é mostrar o tamanho do número e não o seu significado. Porém, quando estudamos Apocalipse, precisamos ter em mente duas coisas importantes, a primeira delas é que o livro não é cronológico, existem fatos que acontecem ao mesmo tempo. Caso contrário Yeshua jamais poderia dizer ao ladrão da CRUZ que HOJE estarás comigo no paraíso.

“Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.”

(Lucas 23:43 ALMEIDA)

Porém, alegoricamente, no Apocalipse fala que os santos que morreram aguardam ansiosamente pelo dia do juízo eterno conforme podemos ler a seguir:

“Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que deram.”

(Apocalipse 6:9 ALMEIDA)

Bem o que quero dizer com isso? Exatamente o que estou dizendo, o Livro de Apocalipse foi escrito em forma de ilustrações, cujas mesmas iriam passar a mensagem para as igrejas da Ásia. Esta mensagem estava codificadas em forma de ilustrações, portanto, através de alegorias, João estava alertando as igrejas, ensinando-as a importância dos crentes vigiarem e se manterem firmes e fiéis.

Se isto é verdade, então a maior parte, exatamente como muitos acadêmicos acreditam, não passam de alegorias e não necessariamente de fatos históricos e precisos. Desta forma, para confirmar isto, basta citar a questão da Besta, onde o próprio texto de João explica que não é uma besta em sim, mas um governo.

“Os dez chifres que viste são dez reis, os quais ainda não receberam o reino, mas receberão autoridade, como reis, por uma hora, juntamente com a besta.”

(Apocalipse 17:12 ALMEIDA)

Ora, se o governo foi alegoricamente ilustrado como a besta e seus chifres, então a continuidade do texto também é uma alegoria. E na continuidade do texto está o 666:

“Então vi subir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças nomes de blasfêmia.”

(Apocalipse 13:1 ALMEIDA)

“Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.”

(Apocalipse 13:18 ALMEIDA)

Qual é o motivo pelo qual o autor, João, escreveu 666?

É muito simples, ele poderia ter escrito 667, 665, 771, 885, mas escreveu especificamente 666. Ele o fez por que sabia que seus irmãos reconheceriam este número, para nós isto é estranho, mas este número era conhecido dos israelitas que ainda eram a maioria da igreja então.

Se este número 666 era conhecido então pela igreja por que não é conhecido por nós hoje? Não é, por que a igreja em geral deixou de se aprofundar nas escrituras que chamamos Antigo Testamento, ou o Tanach como é conhecido em Hebraico. Mas para um judeu ou Hebreu, isto é essencial, deve-se conhecer bem a Torah ou o Tanach.

Conforme mencionei antes, 666 só aparece em 4 passagens, 2 relacionadas com Salomão e o Ouro que recebia como impostos, e outra como Adonikham, cujo número foi corrigido em II Crônicas para 667. Então, como só nos resta um 666 no VT, temos que estar atentos a isso, ou seja, o porque deste número relacionado com Salomão.

“Ora, o peso do ouro que se trazia a Salomão cada ano era de seiscentos e sessenta e seis talentos de ouro,”

(1 Reis 10:14 ALMEIDA)

“Ora, o peso do ouro que se trazia cada ano a Salomão era de seiscentos e sessenta e seis talentos”

(2 Crônicas 9:13 ALMEIDA)

Para entendermos isso, precisamos entender que Salomão foi chamado também de Yedidya, ou seja, amigo de YHWH. Porém, todos nós sabemos que em sua riqueza ele se corrompeu, se misturou com muitas mulheres e trouxe o paganismo de volta para Jerusalém, sua riqueza o contaminou.

Ora Yeshua nos dá uma outra advertência muito séria ao mesmo comportamento de Salomão, e agora vai o texto:

“Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração. A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo terá luz; se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes são tais trevas! Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas. Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas? Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura? E pelo que haveis de vestir, por que andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam; contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? (Pois a todas estas coisas os gentios procuram.) Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso. Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.”

(Mateus 6:21–34 ALMEIDA)

Este é o segredo, no caso de Salomão e nosso caso, não se trata somente de impostos, o problema está em toda a engrenagem do controle mundial financeiro. Se fato, a advertência de Yeshua está na riqueza. Ele estava advertindo o povo de que um dia, as pessoas deixariam de servir a Adonai pelo dinheiro, a riqueza, pois segundo suas palavras não podemos servir a dois senhores. Agora, quantos líderes de igrejas brasileiras conhecemos que eram ótimos pregadores, realmente serviam e de repente criaram um verdadeiro império da prosperidade?

Creio que isto, o qual eu chamo de parte da Apostasia dos Últimos dias, é exatamente o espelho daquilo que é dito em Apocalipse. Virá um dia em que todos estarão correndo desesperados por dinheiro, para manterem seus padrões de vida. O deus deste Mundo e o dinheiro em sua forma material, os controlará, e este dia é um caminho sem volta. Não necessariamente este chamado “sinal da besta”, ou o sinal de Mamon do Rei Salomão 666, precisa ser imposto a todos em um dia determinado. Mas o fato é que, agora nos últimos tempos, muitos de nós acabam se rendendo ao “deus mamon” e abandonando de fato uma vida de intimidade com Adonai, transformando o questão financeira em nosso deus pessoal. E Este é o verdadeiro perigo, pois é subliminar, e muito difícil de combatermos.

Portanto, pode até ser que um dia haverá um sinal como este 666 como muitos crêem, mas creio que este sinal já pode ser visto na vida de muitos que deixaram a fé por causa das finanças, por causa da empresa, ou do sucesso que trouxe o dinheiro, e agora o servem de corpo e de alma. Este sim é o verdadeiro caminho da perdição, é quando muitos rejeitam o Espírito Santo que está batendo no coração, se esfriam e acabam morrendo espiritualmente.

Então, diante de tudo isso, se a mulher grávida descrita no Apocalipse é uma alegoria, se a besta é uma alegoria, se a segunda besta também o é, então, de fato, o 666 também o é, desta forma não vamos ficar desesperados buscando onde está o número, se é em um chip, ou em uma tatuagem, mas sim vamos vigiar e buscar ter uma vida com um relacionamento pessoa diário com o Altíssimo.

Em primeiro lugar, Adonai deve estar no centro de nossas vidas, devemos buscá-lo de todo nosso coração, antes que as outras coisas tomem o lugar de Nosso Amado e Eterno Adonai.

Bem queridos, creio que quanto ao 666 está bem claro, mas cada um ouça, leia e retenha o que é bom. Conforme está escrito

“Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não extingais o Espírito; não desprezeis as profecias, mas ponde tudo à prova. Retende o que é bom; Abstende-vos de toda espécie de mal. E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, e ele também o fará.”

(1 Tesalonicenses 5:16–24 ALMEIDA)

Desde Sião,

Miguel Nicolaevsky

www.cafetorah.com

Artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *