Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram
Cirurgião da Santa Casa pede ajuda de vereadores para evitar paralisação de médicos

Dayane Parron

Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal

Durante a sessão ordinária desta terça-feira (27), o médico cirurgião de tórax da Santa Casa, Dr. Sérgio Ocampos usou a Tribuna para falar sobre a crise no hospital pela falta de pagamento dos médicos. O convite para falar do tema foi feito pelo vereador Dr. Cury.

De acordo com o cirurgião, os médicos autônomos que não possuem vínculo com a CLT (Consolidação das Lei do Trabalho) atuantes na Santa Casa estão há meses sem receber o repasse feito pelo Ministério da Saúde à Santa Casa. “Estamos com atraso há vários meses. A Santa Casa não adiciona nada na remuneração feita a esses médicos autônomos, apenas faz o repasse do governo da tabela do SUS”, explicou.

Na Tribuna, Sérgio Ocampos ainda acrescentou que a Santa Casa recebeu do Ministério da Saúde e não fez o repasse. “Esses serviços de alta complexidade vão sofrer paralisação, não tem como continuar. A Santa Casa está em dívida com a gente. A ortopedia vai paralisar a partir de amanhã o atendimento dela, 

vai criar um caos na cidade”, alertou. 

“Para complicar ainda mais a situação ocorreu atraso dos médicos celetistas, que são os contratados pela Santa Casa sobre o regime da CLT”, explicou.

O vereador Dr. Wilson Sami explicou que a Câmara Municipal criou uma comissão fiscalizadora para estudar os gastos da Santa Casa. “Foi montada uma comissão, enviamos um ofício para Santa Casa para saber o quanto a instituição tem de gastos e o quanto ela recebe de repasse. Recebemos esses dados da Santa Casa e estamos analisando para que assim possamos de maneira efetiva corroborar com o problema da saúde em Campo Grande”, disse. A comissão é composta pelos vereadores Dr. Wilson Sami, Cazuza, Dr. Cury, Delegado Wellington e André Salineiro.

Já o vereador Dr. Cury afirmou que a Santa Casa recebeu todos os repasses para pagamento dos procedimentos médicos realizados pela instituição. “Quero realçar alguns pontos, tanto o Ministério da Saúde, como o governo estadual e municipal não devem um centavo para a Santa Casa, todos os recursos estão em dia. Realmente é chocante quando ouvimos que o repasse, o dinheiro que já foi recebido pela Santa Casa para pagar os procedimentos médicos e internações não estão sendo repassados”, alegou.

Por fim, Dr. Sérgio Ocampos frisou que ausência do repasse aos médicos deve ser analisado tecnicamente. “Meu motivo de estar aqui é mostrar que pode ter um caos na saúde, não é só aumentar a verba para resolver isso, é gerenciar essa verba, para que essa verba possa ser otimizada. Estamos caminhando para uma situação que vidas podem ser perdidas. A Política é muito importante para que haja uma discussão técnica”, concluiu.

www.camara.ms.gov.br

2, Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *